Programa Signatus

logo signatusA conservação de uma espécie implica o conhecimento dos factores que a influenciam, e o pôr em prática medidas que atenuem ou eliminem os factores que ameaçam a viabilidade das suas populações, de forma a que o perigo de extinção da espécie seja consideravelmente reduzido.

Os mamíferos de grande porte e, em especial, a maioria dos grandes predadores, levantam sérias dificuldades no seu estudo e na elaboração de estratégias para a sua conservação. Isto deve-se não só aos conflitos de interesses em relação ao Homem, mas também à dificuldade em conhecer alguns parâmetros da sua biologia. Entre estes são de destacar o conhecimento das características das populações, como a sua variabilidade genética, densidade, a razão entre sexos, a distribuição dos grupos etários, as taxas de natalidade e mortalidade ou a utilização do espaço e do tempo.

Para elaborar planos de conservação eficazes, há que obter informação que permita um melhor conhecimento, entre outros, sobre os parâmetros atrás referidos. Para tal, foi elaborado em 1987 o Programa Signatus, que traduz uma abordagem multidisciplinar estabelecida para contribuir para um plano de conservação do lobo em Portugal.

Os objetivos deste Programa são:

Investigação aplicada - Promover e realizar projetos e estudos técnico-científicos, nomeadamente no âmbito da biologia e antropologia, conducentes a um melhor conhecimento do lobo e das interações Homem-lobo;

Educação e sensibilização ambiental - Divulgar informação correta acerca deste predador tão incompreendido e perseguido, nomeadamente através de ações realizadas no Centro de Recuperação do Lobo Ibérico;

Promoção de medidas práticas de conservação - Contribuir para uma verdadeira política de conservação, não só deste canídeo mas também do Património Natural Português em geral, como é exemplo o Programa Cão de Gado.